Warning: Unexpected character in input: '\' (ASCII=92) state=1 in /home/storage/4/62/b9/foodserviceconsultor/public_html/libraries/gantry/core/utilities/gantryregistry.class.php on line 326

Warning: Unexpected character in input: '\' (ASCII=92) state=1 in /home/storage/4/62/b9/foodserviceconsultor/public_html/libraries/gantry/core/utilities/gantryregistry.class.php on line 339
JPAGETITLE
  • Capacitação em Segurança dos Alimentos

    soluções inovadoras, visando à inocuidade dos alimentos, a qualidade de vida e os direitos do consumidor

  • Confiabilidade do produto

    Maior rentabilidade – lucro

  • Desenvolvemos projetos e atividades de controle higiênico-sanitário

Alimento Seguro

Segurança Alimentar, Nutricional e a Saúde Pública

A segurança alimentar e nutricional ocupa de forma crescente a agenda pública no Brasil no curso de um efervescente processo de construção de valores e práticas, com impactos diretos na estrutura político-institucional de distintos setores governamentais e societários.

Até os anos 1990, as concepções sobre o tema destacavam os problemas de acesso aos alimentos, escassez, fome e qualidade sanitária como principais formas de insegurança alimentar. Posteriormente, cresceu a preocupação com os aspectos culturais, ambientais, de saúde e nutrição.


A segurança alimentar requer simultaneamente:

a) suficiência para atender as demandas efetivas e potenciais;
b) estabilidade para neutralizar as flutuações cíclicas da oferta;
c) autonomia para assegurando a auto-suficiência de alimentos básicos;
d) sustentabilidade para garantir, a longo prazo, o uso dos recursos naturais;
e) equitatividade parar contemplar o acesso universal ao mínimo nutricional.

 

No Brasil, a Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional, instituiu em 2006, tal como o SUS, um sistema nacional norteado pelos princípios da universalidade, participação social, intersetorialidade e eqüidade (social, econômica, étnica e de gênero). Este sistema deve programar modos de produzir, abastecer, comercializar e consumir alimentos que sejam sustentáveis do ponto de vista sócio-econômico e ambiental, que respeitem a diversidade cultural, que promovam a saúde e garantam o direito humano à alimentação adequada e saudável.


Alimento Seguro

Em meados dos anos 90, o acesso ao alimento para uma vida ativa e saudável, dentro do conceito de segurança alimentar, passou a abranger questões como preferência individual, balanço nutricional e inocuidade dos alimentos. Em 1986, em Roma, a Cúpula Mundial de Alimentação, traçou a meta para erradicar a fome em todos os países do mundo e reduzir o número de pessoas subnutridas pela metade até 2015, consolidando o conceito: "A Segurança alimentar, nos níveis individual, familiar, nacional, regional e global, é alcançada quando todas as pessoas têm, a todo momento, acesso físico e econômico a alimentos inócuos (que não oferecem riscos à saúde) e nutritivos para satisfazer suas necessidades dietéticas e preferências alimentares, para uma vida ativa e saudável".

Deve-se distinguir claramente a segurança alimentar (food security) da inocuidade dos alimentos (food safety). Esta última é uma condição necessária para que haja segurança alimentar, mas é apenas um dos aspectos. De nada valeria ter alimentos inócuos se estes não existem em quantidade suficiente ou se a população não tem acesso a eles.

 

Desenvolvimento e Sustentabilidade

Tomando a definição da FAO de sustentabilidade, como o que "consiste na ordenação e conservação da base de recursos naturais e na orientação da mudança tecnológica e institucional, de tal maneira que se assegure a contínua satisfação das necessidades humanas para as gerações presentes e futuras", percebe-se que o Brasil não vem praticando um desenvolvimento sustentável, na medida em que não garante nem no presente, nem para o futuro, a satisfação das necessidades humanas e sequer preserva os recursos naturais, a partir das práticas de exploração desses recursos.

 

Desenvolvimento Sustentável

É um modelo econômico, político, social, cultural e ambiental equilibrado, que satisfaça as necessidades das gerações atuais, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades. Esta concepção promove o questionamento do estilo de desenvolvimento adotado, quando se constata que este é ecologicamente predatório na utilização dos recursos naturais, socialmente perverso com geração de pobreza e extrema desigualdade social, politicamente injusto com concentração e abuso de poder, culturalmente alienado em relação aos seus próprios valores e eticamente censurável no respeito aos direitos humanos e aos das demais espécies.

O conceito de sustentabilidade comporta sete aspectos principais, a saber: 

1. Sustentabilidade Social - melhoria da qualidade de vida da população, eqüidade na distribuição de renda e de diminuição das diferenças sociais, com participação e organização popular;

2. Sustentabilidade Econômica - regularização do fluxo de investimentos públicos e privados, compatibilidade entre padrões de produção e consumo, equilíbrio de balanço de pagamento, acesso à ciência e tecnologia;

3. Sustentabilidade Ecológica - o uso dos recursos naturais deve minimizar danos aos sistemas de sustentação da vida: redução dos resíduos tóxicos e da poluição, reciclagem de materiais e energia, conservação, tecnologias limpas e de maior eficiência e regras para uma adequada proteção ambiental;

4. Sustentabilidade Cultural - respeito aos diferentes valores entre os povos e incentivo a processos de mudança que acolham as especificidades locais;

5. Sustentabilidade Espacial - equilíbrio entre o rural e o urbano, equilíbrio de migrações, desconcentração das metrópoles, adoção de práticas agrícolas mais inteligentes e não agressivas à saúde e ao ambiente, manejo sustentado das florestas e industrialização descentralizada;

6. Sustentabilidade Política - evolução da democracia representativa para sistemas descentralizados e participativos, construção de espaços públicos comunitários, maior autonomia dos governos locais e descentralização da gestão de recursos;

7. Sustentabilidade Ambiental - conservação geográfica, equilíbrio de ecossistemas, erradicação da pobreza e da exclusão, respeito aos direitos humanos e integração social. Abarca todas as dimensões anteriores por meio de processos complexos. Como a Food Service atua na área da Segurança Alimentar

 

Desenvolvemos projetos e atividades de controle higiênico-sanitário para empresas produtoras e prestadoras de serviços em alimentos, refeições coletivas, comerciais e industriais.

Os Serviços são desenvolvidos para conscientizar e orientar os proprietários de estabelecimentos, supervisores e manipuladores de alimentos, da grande importância na capacitação dos profissionais em Segurança dos Alimentos. Conseqüentemente:

• Rastreabilidade do produto com maior eficiência
• Aumento na qualidade do produto
• Aumento da produtividade
• Confiabilidade do produto
• Maior rentabilidade – lucro

 

Serviços na área de Segurança Alimentar

• Auditoria em Controle Higiênico-Sanitário nos Serviços de Alimentação;
• Elaboração de Projeto Técnico em Controle de Qualidade.
• Coleta de Amostra para Análise Microbiológica em alimento, água, ambiente e mão.

Segurança Alimentar

Atualmente um dos grandes desafios da Organização Mundial da Saúde - OMS é controlar o processo produtivo na cadeia de alimentos.

Somos uma equipe multidisciplinar formada por especialistas em Gastronomia, Nutrição, Medicina Veterinária, com grande experiência na área.

Nossa proposta é criar soluções inovadoras, visando à inocuidade dos alimentos, a qualidade de vida, os direitos do consumidor e a preservação do meio ambiente por um mundo sustentável